segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

prazer, me chamo saudade!



Pra falar a verdade, meu nome também é gratidão. Sou grata ao destino por ter colocado esse cara no meu caminho, na minha vida. Foram muitos anos de felicidade, de alegria, de ansiedade, saudade, choros, risos, e até discussões, claro. Afinal de contas, ninguém jamais poderia falar um "ai" dele na minha frente sem que eu virasse bicho.


Apresento-vos o cara que foi o meu vício durante bons e consideráveis anos da minha vida, Reynaldo Gramacho. Já vai fazer 16 anos que eu o conheço, que nós somos amigos e sempre que estou prestes a encontrá-lo é como se fosse pela primeira vez: coração acelerado, mãos suando, ansiedade à flor da pele, lágrimas escorrendo dos olhos e felicidade que transborda. Sim! Assim desse jeito. Sem exagero nenhum! Sem nem o que tirar e nem por.


Devo a ele muitos sorrisos, uma parte considerável da minha felicidade e da minha alegria. Me considero privilegiada e iluminada por poder dizer "eu o conheço, ele é meu amigo".


Se um dia eu escrevesse a minha biografia, ele teria um lugar especialíssimo, um capítulo que eu só falasse de coisas boas, que foi exatamente o que ele representou pra mim, e ainda representa, mesmo fazendo uns 3 anos que não o vejo. Claro que não é por opção minha minha. E sei que nem a dele. Ele se tornou tão importante, que muitas vezes eu divido a minha vida em antes e depois de conhecê-lo. Simplesmente troquei as minhas barbies pra curtí-lo. Deixei meus brinquedos por gostar, amar, adorar o trabalho dele, e depois do dia 24 de setembro de 1995, eu só pensava em revê-lo, revê-lo e revê-lo.


Hoje em dia, essa loucura, essa fissura, fanatismo, ou vício como melhor vocês acharem, passou um pouco, mas meu coração SEMPRE vai ter um espaço gigante para abrigar a imagem e lembrança desse cara.


O coração tá quase virado em nada agora de tão apertado de saudade, nó na graganta e, talvez, se eu fechar bem os olhos, lágrimas rolem sobre as bochechas. A saudade é muita. É tanta que chega perto do tamanho do meu amor por ele. Não vou tentar explicar o porquê disso tudo, algumas pessoas não entenderiam e eu não preciso mesmo que entendam. Quem me conhece, quem conhece minha história, talvez entenda um pouco do que eu falo aqui. Acho que quem entende melhor, mas mesmo assim, não por completo, é somente... eu disse SOMENTE a minha mãe, que sempre esteve ao meu lado em todos os momentos que eu estive ao lado dele.


Só quero deixar aqui as minhas sinceras felicitações, dar os parabéns e desejar que a estrela eterna dele continue brilhando, que ele continue fazendo a alegria de quem está ao seu redor e que ele nunca perca a alegria imensa que ele tem. Que Deus o conserve assim, do jeitinho que ele é por muuitos anos de vida e que lhe dê muita saúde, sucesso, amor e bençãos.


É isso, Reyzinho, o post de hoje é pra ti, pois o dia de hoje é todo teu.
FELIZ ANIVERSÁRIO, da tua eterna fã e acima de tudo, da tua amiga, aquela menina de 10 anos que conheceste em Belém, e que pela qual deixaste de voltar ao hotel depois de um show pra cuidar dela, enquanto a mesma estava desmaiada. Valeu, cara. Valeu muito!!! Sem dúvida o Chiclete com Banana não é o mesmo sem ti!


Mil beijos com o coração cheio de saudade!

3 comentários:

  1. Que declaraçao de amizade mais linda!

    E muitas felicidades para o Reynaldo!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Lu! Amor de amigo é uma coisa de louco mesmo.
    Bjs e uma linda 3ªfeira para você ♥

    ResponderExcluir
  3. É uma amizade muito bela mesmo!! =]

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Adoro ler todos!!!